Histórias sobre o Vaginismo

As representações ficcionais de experiências reais do vaginismo para ajudar mulheres a determinar se elas têm a condição.

(Para descrições da vida real, veja Comentários.)

Histórias sobre o Vaginismo

As representações ficcionais de experiências reais do vaginismo para ajudar mulheres a determinar se elas têm a condição.

(Para descrições da vida real, veja Comentários.)

Lena

Ardência e estreitamento sem nenhuma causa aparente

“Estamos casados há nove anos e temos dois filhos maravilhosos. Infelizmente, responsabilidades familiares e empregos estressantes diminuíram muito o nosso tempo juntos. O cansaço extremo faz o sexo parecer uma obrigação extra—apenas mais uma coisa a fazer que não temos tempo para usufruiu e agora não podemos. Eu não sei se é por causa do estilo de vida estressante e ocupado ou por estarmos ‘sem prática’, mas há cerca de um ano, a relação começou realmente a doer. Tudo começou com uma sensação de ardência algum tempo durante o sexo. Eu passei a ficar ansiosa que doeria de novo e geralmente doía. Consultas com o médico revelaram pouco além dos conselhos normais ‘passem mais tempo nas preliminares ou usem mais lubrificante’. Agora parece que o meu corpo simplesmente ‘aperta’ e temos muita dificuldade em fazer sexo. A entrada do pênis é dolorosa e além da ardência, sinto espasmos musculares, desconforto e ansiedade. O prazer se foi, e há apenas a expectativa de desconforto e frustração. Nosso casamento está sofrendo e parece que um abismo profundo está crescendo entre nós à medida que o sexo tornou-se impossível. Meu marido e eu brigamos muito mais e eu sei que ele está ficando impaciente. Eu não quero que meus filhos sejam mais uma estatística do divórcio por causa disso. Simplesmente, não sei o que fazer.”

Melissa

Uma enorme decepção

“Tenho vinte e oito anos de idade, sou professora e casada, mas ainda me sinto como uma criança. Meus alunos do ensino médio estão sempre falando sobre como eles gostam de sexo. Fico com raiva e me pergunto por que eles conseguem ter relações sexuais com tanta facilidade. Eles estão apenas curtindo o sexo e nem se importam uns com os outros. Não é justo que seja tão difícil para mim. Meu marido não entende a minha dor, e acho que ele pode me deixar se eu não receber ajuda em breve. Existe essa grande decepção nas nossas vidas, e até agora não fomos capazes de compartilhar isso com ninguém.”

Raquel

Problemas após a menopausa

“Eu sabia que mudanças de saúde chegam à medida que você envelhece, mas isso é demais! Comecei a entrar na menopausa por volta dos 45 anos e meus hormônios ficaram malucos! Meu marido e eu sempre tivemos um ótimo relacionamento sexual e queríamos levá-lo a um nível ainda mais profundo depois que nossos filhos terminassem o ensino médio. Foi quando houve o ataque dos hormônios! Tive secura vaginal e, embora usamos lubrificante, a relação sexual ainda doía e eu me senti quase como se minha vagina tivesse ‘encolhido’. Meu médico diz que isso é normal para uma mulher que está envelhecendo (ahhhhh! eu não queria ouvir isso), mas conheço mulheres que têm vidas sexuais bem ativas mesmos nos seus seus 60 e 70 anos! Eu não posso desistir aos 48 anos! Mas quanto mais velha fico, mais eu odeio sexo. Parece muito complicado.”

Verônica

Assim que ele começa a movimentar o pênis dentro de mim, sinto desconforto

“Depois de dois anos de casamento, é natural pensar que nós já deveríamos ter superado isso. Com algum esforço, conseguimos inserir o pênis na vagina, mas assim que ele tenta movimentá-lo lá dentro, eu sinto desconforto e uma pontada de dor que nos obriga a parar. O nosso médico local recomendou usarmos mais gel lubrificante, mas isso mal faz qualquer diferença. Após ser examinada por um especialista, me disseram que tudo parecia bem, e ainda assim, obviamente, existe algum problema. Mas, acredite em mim: Eu não sou maluca—Eu realmente quero estar íntima com o meu marido e começar a construir uma família. Eu só preciso de alguém me ajude a descobrir o que há de errado!”

Sônia

Sentindo-me um fracassada

“Sinto-me uma fracassada. Por que não consigo fazer sexo? A pior parte é como isso afetou o meu relacionamento com Davi, meu marido por mais de quatro anos. Nunca consegui permitir a penetração, mas mesmo assim, desejo que fiquemos próximos sexualmente e quero retribuir o seu amor. O medo de ter sido abusada sexualmente há tantos anos atrás continua a me incomodar. Isso poderia estar causando o problema? Tenho pensamentos nada saudáveis sobre mim mesma e sinto-se presa em uma armadilha. Minha mãe me provoca e me pressiona para eu começar uma família, mas como posso engravidar?”

Júlia

Ambos eram virgens quando se casaram—e ainda são virgens agora

“Nós dois éramos virgens e esperamos até o casamento para ter relações sexuais. Mas na nossa lua de mel, ficamos surpresos e decepcionados quando descobrimos que simplesmente não conseguíamos consumar o nosso casamento. Eu sempre suspeitei que minha vagina era muito pequena, porque eu nunca pude colocar um absorvente interno (independentemente de quanto eu tentasse). Uma consulta com minha médica foi muito constrangedora. Ela insensivelmente me disse que eu só precisava tentar mais. Tentamos inúmeras vezes, mas qualquer tentativa de empurrar o pênis para dentro da vagina falha e causa dor e ardência. Ele simplesmente parece não caber na vagina. Nada do que eu li sobre sexo fala qualquer coisa sobre isso. O que posso fazer?”

Linda

Problemas após o parto normal

“Eu sempre procurei cuidar da saúde e sempre fui muita ativa. Tínhamos uma relação sexual carinhosa e divertida até o nascimento da nossa filha. O parto foi relativamente normal, embora doloroso, e o médico foi cuidadoso quando costurou um pequeno rasgo. Ele diz que estou totalmente curada sem nenhuma cicatriz perceptível, mas agora meu corpo se contrai quando tentamos a penetração e ela não é confortável. Embora o ginecologista tenha me examinado e dito que estava tudo bem, é como se o meu corpo estivesse dizendo que algo está errado. Algo deve estar errado porque sou saudável e não há nenhuma razão lógica para isso. Temos uma linda menina e não sinto poder usufruir a maternidade por causa dos problemas na nossa vida sexual. Eu só quero que tudo volte a ser como era antes.”

Ana

Eu deveria tentar de novo?

“Estou animada com um novo namorado. Eu adoraria desenvolver uma relação mais íntima com ele. No entanto, eu me pergunto por que algum homem iria me querer se eu nem posso fazer sexo. Meu último namorado se cansou de esperar e acabou o namoro. Isso foi há três anos atrás. Eu deveria tentar de novo? Como e quando devo contar a ele sobre o vaginismo? Eu só não sei se eu poderia lidar com a dor e a rejeição de um novo relacionamento rompido. Às vezes, parece mais fácil ficar sozinha.”

João e Diana

Marido frustrado

“Há três anos, fazemos terapia para tentar descobrir por que Diana não consegue ter relações sexuais. Estamos emocionalmente exaustos e com dificuldades financeiras. Parece que tudo o que fazemos é ‘falar, falar, falar’, enquanto nossas vidas estão passando por nós. O sexo ainda não está acontecendo e eu questiono o nosso futuro juntos. Nós nos amamos e cuidamos um do outro profundamente, mas esse problema está nos destruindo. Eu gostaria de saber se há algo de errado fisicamente, mas o médico descartou qualquer problema. O terapeuta acha que aconteceu algo no passado de Diana que está causando o problema, mas ele não consegue descobrir o quê. Tentamos muito manter o entusiasmo e as aparências de que está tudo bem, mas não está.”

Amanda

Problemas após um caso do marido

“O pior dia da minha vida foi quando eu descobri que meu marido estava tendo um caso. Depois de seis anos de casamento, fiquei arrasada porque eu realmente pensava que tínhamos uma relação de confiança. Surpreendentemente, ele rompeu o relacionamento com a outra mulher e disse que queria que tentássemos novamente. Fizemos terapia a fim de restaurar nosso casamento. Deus fez milagres na nossa relação e parece que estamos no caminho da cura em todas as áreas, com exceção de uma—o sexo. Estou achando muito difícil confiar nele com meu “eu” mais íntimo. Eu o imagino com esta outra mulher e eu me desligo emocionalmente. Toda vez que fazemos sexo, dói e arde muito. Eu nunca falei sobre isso com o meu marido porque não quero magoá-lo. Muitas noites, eu choro depois do sexo porque dói—física e emocionalmente. Eu mencionei isso ao meu médico uma vez, mas ele não conseguiu encontrar nada de errado no exame (o qual, a propósito, foi doloroso) e achou que talvez tivéssemos que trabalhar algumas questões. Algumas semanas atrás, não conseguimos ter relações sexuais e eu só disse ao meu marido que talvez fosse porque eu estava muito cansada. Desde então, tenho o evitado, mas sinto muita pressão por causa do que aconteceu no passado. Ele realmente mudou e nós nos amamos. Eu não quero perdê-lo novamente.”

Andrea

Problemas relacionados com a dor sexual devido à endometriose

“O sexo nunca foi muito confortável para mim, mas em alguns momentos era melhor do que em outros. Eu tinha endometriose e quando as cólicas eram muito fortes, o sexo doía muito. O médico disse que se eu fizesse uma histerectomia, isso resolveria a endometriose e eu poderia levar uma vida mais normal. Fiz a cirurgia há três anos, mas embora eu me sinta bem e não haja mais cicatrizes, a entrada ou o movimento do pênis provoca ardência e dor. Eu não entendo. Eu não deveria ter mais nenhum problema feminino porque o problema foi retirado, mas parece que a minha vagina está sempre contraída com as tentativas de relações sexuais. Meu marido é muito paciente, mas por quanto tempo ele irá esperar? Ele não faz parte do acordo. Deve haver algo que eu possa fazer!”

Tânia

Problemas após a cirurgia

“Tínhamos uma vida sexual normal até que surgiram complicações decorrentes de uma cirurgia pélvica. Muito tempo depois do meu corpo ter se curado, meu marido já não conseguia mais penetrar. Era quase como se houvesse uma parede onde um dia havia uma abertura. Doía sempre que tentávamos, embora o médico tivesse dito que não havia nada fisicamente errado. Um especialista sugeriu que eu poderia ter vaginismo. Isso pode ser tratado ou ficarei assim para sempre?”

Deise

Problemas após um estupro

“Tenho 24 anos e nunca fui casada. No entanto, tive alguns relacionamentos íntimos em que o sexo era muito bom. Quando eu tinha 22 anos, saí com um idiota que me estuprou violentamente no final da noite. Eu ainda me lembro de estar deitada lá, me sentindo suja e usada. Desde então, tive alguns namorados, mas fico com medo da intimidade. Mas, três meses atrás eu conheci alguém diferente; um homem maravilhoso por quem acho que estou apaixonada. Tentamos fazer sexo algumas vezes, mas fiquei surpresa ao descobrir que simplesmente ele não acontece. Eu não entendo! Sexo era bom antes do estupro, mas agora eu conheci alguém realmente especial e eu não consigo fazer sexo. Poderia ter algo a ver com o estupro? ”

Share This